23 agosto 2017

Olha ali a felecidade!



O dia começou a acordar aos poucos,mas quando percebi já estava claro,e eu amei a sua luz,eu amei os raios de sol invadindo o meu quarto de uma forma cálida e delicada,tocando minha pele e despertando as células adormecidas.
Eu amei o fato de estar viva,e de sentir meu coração batendo furioso contra meu peito como se pudesse rasgá-lo.

E então começou tudo de novo,o hoje que ontem foi amanhã,saio da minha cama e meus pés entram em contato com o chão frio e o que passa pela minha mente é que estou aqui,desperta e no agora.Então vamos à rotina para o banho,sentindo a água gelada espantar o pouco de sono que me restava;
vamos à rotina ver o vapor do café subir da xícara cheia e sentir seu gosto quente e amargo descendo pela minha garganta.
 
Agora saio dessa fortaleza e vou para o mundo ,para o caótico lado de fora,e vejo as pessoas a correr,mal se apercebendo de si mesmas,vejo as pessoas olhando os seu celulares e relógios de pulso tentando inutilmente vencer a corrida contra o tempo.
E vejo a estranheza de tudo isso,aquela menina ali sentada sozinha no banco da praça,com fones de ouvido,cabelos desgrenhados e olhos fechados,me lembra a mim mesma,será que ninguém a vê?
Entro no ônibus,e coloco uma música,pois,a música é uma das coisas que me move,mas hoje não a escuto só escuto as pessoas ao meu redor,essa mulher ao meu lado que grita ao telefone,aquele homem com olheiras fundas abaixo dos olhos,mas ainda assim sorri ao responder as perguntas de uma menininha sentada ao lado dele "como uma semente tão pequena vira uma arvorezona assim?" diz ela fazendo gestos amplos com os braços.

As vezes nós não percebemos,ou simplesmente esquecemos,que cada pessoa é uma história,esse ônibus está cheio de histórias,esse menino que acabou de entrar,de mochila nas costas encurvadas,e uma dor devastadora nos olhos,também é uma história.

Eu queria saber todas essas histórias e escrever um final feliz para todas elas.É isso que me encanta nos contos de fadas,não é o príncipe belo e seu cavalo branco,não é a donzela que irritantemente sempre tem que ser salva,mas sim o final feliz,o final feliz é o que todos procuramos.
Hoje eu recebi o presente de encontrar a felicidade dentro de mim,em uma das muitas pessoas que moram aqui,eu a encontrei e a cada dia eu vou buscá-la,mas nos lugares certos,nos momentos em que a vida nos permite viver,pois estou começando a perceber que,apesar de tudo, essa tal senhorita felicidade não é assim tão difícil de se obter.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que você achou do post, vou adorar saber :D, prometo responder todos os comentários haha

© Bibizinhas - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Bia Gimenes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo